Vale mais a pena, financeiramente, um carro novo ou usado?

13

Olá Poupadores, neste artigo vou comparar se valeu a pena financeiramente comprar meu primeiro carro usado ao invés de um novo, para isso vamos comparar a realidade com o estudo que fiz lá em 2016.  

O artigo da época com a análise completa pode ser conferido clicando aqui.

O estudo se baseava em uma projeção de 3 anos com o carro, fiquei com o C3 por 2 anos e 4 meses e meio, assim apresentaremos, sempre que necessário, os dados ajustados para 3 anos.

Foram comparados 4 aspectos: IPVA, Desvalorização, Consumo de Combustível e Manutenção.

Vamos começar pelo IPVA, enquanto projetei uma despesa de R$ 1.594,87, na realidade o gasto saiu por R$ 1.902,67, um gasto R$ 307,80 maior. Como não cheguei ao terceiro ano com o carro, foi considerado uma estimativa para o valor do IPVA do terceiro ano.

No quesito Desvalorização, projetamos uma desvalorização de R$ 6.379,62, enquanto que na realidade comprei o carro pro R$ 20,5 mil (abaixo da FIPE) e vendi por R$ 18 mil. Perdendo apenas R$ 2,5 mil.

Embora ainda tenha faltado quase 8 meses para completar 3 anos, também vendi próximo de precisar arcar com o licenciamento, assim, imagino que já com o licenciamento quitado teria vendido pelo mesmo valor ou muito próximo.

Vamos considerar mais R$ 500 de desvalorização para o período restante, fechando em uma desvalorização total de apenas R$ 3 mil, menos da metade dos mais de 6 mil projetados.

Na projeção com combustível esperávamos um gasto de R$ 14.035,08, enquanto gastamos na prática R$ 11.247,04 (já considerando o restante do tempo para completar 3 anos), uma diferença de R$ 2.788,04.

E no aspecto da Manutenção veio surpresas bastante negativas, enquanto projetamos um gasto de R$ 6 mil, o realizado foi de R$ 15.773,20. Uma diferença de quase R$ 10 mil.

Vamos a duas principais explicações para uma diferença tão grande. Primeiro, não comprei o carro em boas condições mecânicas, a lição aprendida é levar para um bom especialista analisar, não tinha contato com oficinas mecânicas e na que levei a avaliação foi realizada superficialmente. Segundo, não me atentei que o modelo escolhido tinha um problema crônico no câmbio automático, para meu azar, não demorou para ter gastos com ele. Esse é um problema fácil de evitar, mas por falta de conhecimento não me atentei a isto.

Projetado X realizado

Enquanto projetamos um gasto total de R$ 28.009,57, na prática o resultado foi de R$ 31.922,91, um gasto extra de R$ 3.685,97, quase 14% acima do esperado.

No meu caso o que pesou foi o gasto com manutenção muito acima do previsto, por outro lado, os demais gastos vieram menores. Assim, recomendo atenção total nesse aspecto.

Quanto gastei na prática?

Pois bem, além dos gastos citamos acima, tivemos gastos com seguro, estacionamento, taxas, multas, limpeza e outros. Somando todos os gastos, o total ficou em R$ 33.887,38, uma média mensal de R$ 1.210,26.

É importante algumas ressalvas, para caso você queira adaptar a sua realidade:

  • O modelo comprado tinha 7 anos de uso, e quanto mais velho, possivelmente terá um custo de manutenção maior;
  • Esse carro tem motorização 1.6L e câmbio automático de 4 marchas, passando longe dos modelos mais econômicos;
  • comprei meu carro com carteira de habilitação provisória, portanto, o custo de seguro no primeiro ano foi altíssimo, valor que caiu significativamente nos anos seguintes;
  • E, manutenção, aqui foi o meu ponto fraco, pelo câmbio do carro e pelas qualidades gerais do veículo comprado, quanto mais você puder investir em uma boa avaliação pré-compra, melhor, vai te economizar um bocado. No mais, não é um carro exatamente barato de manter.

Acredito que corrigindo esses pontos, pensando em gastar o menos possível, poderia chegar a um gasto 37% menor, uma média mensal de R$ 763,10. Por outro lado, também existem opções de carros mais luxuosos que te fariam gastar ainda mais dinheiro, podendo elevar os custos para muito mais, o céu seria o limite.

Ainda valeu a pena o usado em detrimento do novo?

A resposta é SIM, pois, no mesmo modelo novo, teria gastado R$ 39.151,34 (contra R$ 46.853,70 projetado no estudo), R$ 11.141,77 a mais do que com o carro usado. Fora gasto maiores com as despesas que não estão nos 4 aspectos analisados, como o valor de seguro do veículo.

O estudo da época mostrava uma margem de segurança muito grande em favor do carro usado, e mesmo com custos 14% maiores no usado e 17% menores no novo, ainda assim o resultado financeiramente foi favorável ao carro usado. É claro que se a diferença fosse muito pequena não valeria apena correr o risco, por isso é importante uma análise para cada caso.

É isso Poupador, de maneira racional, apesar dos imprevistos, valeu muito a pena a compra do carro usado ao invés do novo. Inclusive, troquei de carro e advinha, novamente por um usado. Já estou a mais de três anos com meu segundo carro e em breve escrevei sobre o assunto. 

Dúvidas? Ainda prefere carro novo? Comenta aqui embaixo.

Artigo anteriorMais um degrau rumo a independência financeira
Próximo artigoMelhor renda passiva mensal de todos os tempos