Segundo mês consecutivo de queda no patrimônio

129

Olá, Poupadores! Venho trazer mais uma atualização mensal do meu patrimônio.

A bolsa de valores fechou, novamente, no vermelho, com queda de 1,53% e, minha carteira caiu junto, queda de 4,12%. Como quase 80% do meu patrimônio está investido, a queda mensal patrimonial chegou a 2,33%. No acumulado do ano o patrimônio teve alta de 16,64%, ainda abaixo da meta de 21,46%, a qual só vamos bater se tivermos um ótimo resultado em dezembro.

Com esse resultado, apenas um dos três indicadores da riqueza melhorou.

Quinto mês consecutivo de queda na bolsa, dado o histórico fica cada vez mais provável que o próximo mês será de alta, mesmo que seja tímida. Enquanto isso, sigo investindo bastante e praticamente sem reservas de oportunidades,

A seguir, você confere isso em detalhes.

Saiba mais sobre o que é a Jornada da Riqueza e como medir sua riqueza de verdade.

Indicador de Ativos Geradores de Renda

Este indicador mostra, em percentual, quanto o seu dinheiro está trabalhando para você. Quanto maior o percentual, melhor.

Mais uma queda, de 78,02% para 77%, graças a queda patrimonial dos investimentos em bolsa de valores, que terminaram o mês com nova queda, de 5,60%. O dinheiro poupado continuou sendo direcionado para os investimentos, sem qualquer aquisição expressiva em ativos que não geram renda.

Houve aumento patrimonial em decorrência da revisão no valor justo de venda do veículo que antes era de 85% da tabela FIPE e agora é de 86%. Uso uma métrica bem conservadora.

Indicador de Endividamento

Este indicador é dado pela soma total de passivos dividida pela soma total de ativos. Ele é responsável por mostrar como o seu aumento patrimonial está sendo financiado: com dinheiro próprio ou através de empréstimos de bancos, financeiras, cartões, etc. Saiba mais sobre a taxa de endividamento.

O indicador teve um aumento expressivo, explicado pelas compras de passagens aéreas e mais algumas compras no crédito. Para o próximo mês esperamos uma inflexão para quedas.

Indicador da Riqueza

Este indicador serve como um termômetro da independência financeira. Ou seja, viver apenas do rendimento dos investimentos. É preciso prestar bastante atenção a este indicador caso você deseje viver somente de rendimentos. A partir de março de 2020, o período de comparação foi estendido para 24 meses. E em maio de 2021 o período foi estendido para 36 meses.

Patamar mais alto pós reajuste do período de análise. A boa alta é explicada pelos fortes rendimentos de novembro, tanto com renda passiva quanto com os ganhos através da venda de ações. Se olharmos o gráfico em uma perspectiva integral é perceptível que o indicador continua aumentando e que estamos cada vez mais perto de nosso patrimônio produzir uma boa renda para o resto de nossas vidas.

Depreciação

Também faço a depreciação mensal de boa parte dos meus bens, pelo menos dos que têm algum valor. A depreciação, em resumo, é o custo do uso do bem ao longo do tempo. Saiba mais sobre depreciação. Quanto menor o valor, melhor, pois preciso gastar menos dinheiro para manter o mesmo padrão de vida.

Mais um mês de valorização puxado pelo aumento do preço do meu carro no mercado de usados. Pesou a favor a valorização de R$ 856,80 no preço do meu carro usado. Com esse resultado, meu carro passou a representar 10,66% do meu patrimônio, um pouco acima do valor desejado (10%).

Patrimônio Líquido

Meu Patrimônio Líquido (descontadas as dívidas) caiu 2,33% nesse mês de novembro. Pesou para o resultado o retorno de -4,12% dos investimentos e mais dividas no cartão de crédito (+R$3.365,10). Compensou, em partes, a valorização dos bens que não geram renda (+R$1.020,49) e a segunda melhor poupança mensal do ano.

Portando, no acumulado do ano, a valorização patrimonial caiu para 16,64%, se distanciando a da meta de 21,46%. Um feito e tanto, se pensarmos que ficamos com uma média de 55% do patrimônio alocado na bolsa de valores e no acumulado até novembro a bolsa caiu quase 15%.

Só essa queda já seria o suficiente para puxar o patrimônio para uma queda de 8-10%. Entretanto, poupando bastante e investindo, principalmente nas quedas, conseguimos chegar a uma valorização de 16,64%, até aqui só tenho do que me orgulhar.

Portanto, a meta revisada em setembro para 29,84%, já foi descartada e voltamos a meta original de 21,46% definida em dezembro de 2020. Porém, precisaremos de uma boa valorização para alcança-la, não é impossível, já tivemos boas valorizações mensais, todavia, contamos com uma alta de uns 5% na bolsa de valores para isso.

São 5 meses consecutivos de quedas na bolsa de valores, é um movimento incomum, mas estamos vivendo tempos estranhos, tudo pode acontecer. A última vez que tivemos 6 meses de quedas foi no primeiro semestre de 2013, será que vamos repetir a façanha agora em dezembro?

O que sei é que dezembro será mais um mês que vamos poupar bastante e dar mais um passo para viver de renda.

Acompanhem-nos pelo instagram para ficar por dentro do mundo dos investimentos e conferir muitas dicas para fazer o seu dinheiro trabalhar para você.

É isso, Poupadores, até a próxima!

Artigo anteriorCarteira de investimentos sentiu as quedas sucessivas da renda variável
Próximo artigoMelhor renda passiva até aqui