Última revisão orçamentária do ano

16

Confira o meu orçamento com os dados atualizados de outubro.

Receita estável e gastos bem maiores fizeram a percentual poupado do mês cair drasticamente para apenas 15,37%. Renda passiva baixa puxou o resultado da média mensal para baixo, para R$ 870,82, ainda assim, quase 30% superior à do ano passado.

Passamos pela última revisão anual do orçamento, e, por causa de algumas despesas imprevistas (R$ 2950,00) somado a antecipação de R$ 532 previstas para 2022, optamos pelo meio termo entre cortes e aumento do orçamento. Aumentos o orçamento em R$ 1.535,00, cortamos despesas em habitação e educação e aumentamos a previsão de gastos nas demais categorias.

Abaixo, você confere tudo isso em detalhes, umas dicas financeiras  e aprende a monitorar tudo o que é importante dentro do seu orçamento. Saiba mais sobre a Jornada da Riqueza.

Receitas

Em outubro, houve crescimento de 2,28% em relação ao mesmo período do ano passado.

No salário o crescimento foi de 28,19%, basicamente pelo reajuste inflacionário e pela substituição do meu superior por um período de 15 dias. Entretanto, toda essa alta foi compensada por receitas menores no consultório odontológico da esposa (-27,82%) e com os investimentos (-76,47%).

Olhando exclusivamente para a renda através dos investimentos, foi R$ 417,33 contra R$ 1.773,73 do mesmo período do ano passado. Sendo os R$ 417,33 inteiramente através de renda passiva. Portanto, no acumulado anual, a média mensal de renda passiva caiu para R$ 870,82, que representa um aumento de 29,34% em relação ao ano passado. Segue abaixo gráfico atualizado com os proventos distribuídos desde 2017:

Despesas

Ao comparar os meses de setembro e outubro, houve alta de 41,41%.

O maior aumento aconteceu com saúde (221,30%), seguida de transporte (57,72%), alimentação (31,41%), habitação (17,47%) e cuidados pessoais (13,16%).

Com saúde o impacto foi pelo tratamento odontológico da minha esposa pago integralmente em outubro. Em transportes pelo gasto extra na troca do evaporador do ar condicionado do veículo (R$800,00). Alimentação por fazermos nossas compras semanalmente e nesse mês ter sido cinco vezes ao invés de quatro.

Na categoria habitação, além dos gastos recorrentes, compramos a pulseira inteligente Mi Band 6, trocamos a mangueira de gás e gastos elétricos um pouco maiores por conta do ar condicionado. Sobre o ar condicionado, por nossas estimativas, os gastos ficam em R$ 40 mensais, utilizando apenas para dormir em uma temperatura de 23°. Aqui é importante comentar que por causa da crise hídrica o valor da energia aumentou substancialmente, se pensamos nos preços normais e considerar um ar condicionado moderno, não ficaria surpreso em um consumo energético de apenas R$ 25 mensais apenas para este tipo de uso.

E, para finalizarmos a parte do aumento de gastos, gastamos mais com cuidados pessoais (+13,16%) por serviços de depilação a laser. Esse gasto era previsto para 2022, porém, como a receita está muito acima do previsto, decidimos por antecipa-lo. Essa é uma despesa que começa agora e terminará só no ano que vêm.

Por outro lado, tivemos gastos menores comprando menos roupas (-86,71%), lazer (-68,19%) e ‘outros’ (-49,51%). Com lazer os gastos de setembro foram majorados pela comemoração de nossos aniversários, por isso a baixa de outubro voltando para parâmetros mais próximos da normalidade. E na categoria ‘outros’ pela compra de um transformador de energia, marketing e comissões.

Orçamento

Finalizado o décimo mês do ano, no acumulado, temos receitas 15,18% acima do previsto e despesas 0,62% abaixo da previsão. Combinação que faz o resultado da poupança está muito acima do previsto.

Diversos gastam ficaram acima do previsto, com exceção de três categorias: habitação, educação e vestuário. Após uma análise criteriosa, realizamos a última revisão anual da carteira, remanejando boa parte dos gastos de habitação e educação para as demais categorias. Mesmo assim, ainda foi necessário aumentar o orçamento total em R$ 1.535,00, basicamente para comtemplar duas grandes despesas que não estavam previstas: metade do conserto de um raio-x e tratamento odontológico da esposa.

Assim, temos o cenário conforme imagem abaixo.

É isso, seguimos de olho e ajustando conforme necessário. Com esta revisão os gastos devem convergir para dentro do previsto até o fim do ano. A vida é assim, por mais que planejamos, imprevistos acontecem. Como no acumulado do ano tivemos receitas acima do previsto, optamos por um misto entre cortes de despesas e aumento do orçamento.

Até a próxima, Poupadores! Conte conosco para quaisquer dúvidas. Deixa um comentário aqui embaixo.

Artigo anteriorBolsa caiu quase 7% e meu patrimônio foi junto
Próximo artigoResultados do 3T21, vale apena investir na Oi (OIBR3)?