Acompanhe a recuperação da minha carteira em março

46
Confira os resultados da minha carteira durante a pandemia

Nesta coluna, você vai acompanhar de perto a minha carteira de investimentos e vai aprender mais sobre maneiras de alocar recursos para construir sua própria carteira previdenciária.

Meus investimentos na renda variável renderam 8,14% em março, bem melhor do que o índice iBovespa, que funciona como um termômetro do mercado de capitais, e valorizou 6%. Os novos aportes foram destinados, principalmente, à renda variável, ajudando o percentual investido em renda variável a ficar praticamente sem mudança, de 67,85% para 67,60%.

Foi um mês de com diversas negociações, duas de venda e várias de compra.

Abaixo, você confere mais comentários e o restante das negociações.

Renda Fixa e Renda Variável

Em março, a maior parte dos aportes foi na renda fixa, aumentando a reserva de oportunidades e compensando a forte alta da renda variável. Por isso, o percentual se manteve praticamente estável com relação a fevereiro.

Rentabilidade mensal

Minha carteira terminou o mês de março com uma rentabilidade de 5,61%. Considerando apenas a parcela em renda variável, a carteira teve uma valorização de 8,14%, novamente melhor que o índice Ibovespa, que funciona como um termômetro da bolsa de valores e valorizou 6%.

A rentabilidade mensal é medida ao levar em consideração a variação entre o preço na liquidação de todos os ativos e os rendimentos do mês. Para saber mais sobre o cálculo de rentabilidade.

Carteira de Investimentos

O número de ativos na carteira aumentou para 29, adição da empresa Neoenergia (NEOE3). A concentração, mais uma vez, aumentou, agora as dez maiores posições representam 72% da carteira, contra os 71,44% do mês anterior.

Março foi um mês de recuperação. Das minhas 21 ações, apenas cinco fecharam no negativo: DMVF3 (-12,51%), PETZ3 (-5,67%), ABCB4 (-5,60%), BRSR6 (-4,75%) e MYPK3 (-4,45%). As outras 16 ações ficaram no positivo, seis com altas superiores a 10%. São elas: FESA4 (30,24%), WIZS3 (20,29%), VLID3 (19,50%), CVCB3 (19,30%), SAPR4 (11,62%) e PRIO3 (10,37%). Três dessas são posições bem expressivas na carteira e contribuíram para ganhar do índice Ibovespa mais uma vez.

Durante o mês, realizei lucro apenas em CVC (CVCB3) e Petrorio (PRIO3), a fim de melhorar a relação risco x retorno da carteira e controlar a exposição em renda variável. Para saber mais sobre os ganhos com dividendos e vendas de ativos, clique aqui.

Agora vamos às negociações do mês.

Negociações

Mês de poucas negociações, apenas doze. Quase todas compras, apenas duas vendas. Os aportes foram, em sua maior parte, em empresas mais conservadoras e as vendas também pensando na diminuir de riscos da carteira, seja pelo setor, caso da CVC (CVCB3), quanto pela concentração, caso da Petrorio (PRIO3).

Aproveitando a queda da bolsa, comecei aportando em Itaúsa (ITSA4), adquiri mais 11 ações pelo preço médio de R$ 9,91 cada. A empresa continua indo muito bem e seguindo sua estratégia de diminuir a dependência com o banco Itaú. Essa provavelmente seja a posição mais conservadora da carteira, e pretendo aumentar posição sempre que a cotação estiver muito atrativa, mas sem me expor demasiadamente, visto que é uma empresa de baixo crescimento.

A segundo investimento foi na companhia de energia do estado de Minas Gerais, a Cemig (CMIG4). Durante a baixa na cotação, comprei mais 11 ações pelo preço de R$ 11,70 cada. Continuo achando uma das melhores empresas do setor quando considerado o preço e o potencial. E um bônus será a provável privatização da companhia, que ainda pode sair na gestão atual do governo Zema, vamos ter paciência.

O terceiro foi na companhia de saneamento do Paraná, a Sanepar (SAPR4), outra empresa estatal. Não tenho problema com estatais desde que o desconto compense o risco. E nesses preços acredito que compensa muito, ainda mais se tratando de algo tão básico e perene como água tratada e saneamento. Mais 200 ações pelo preço médio de R$ 3,91 cada.

O próximo investimento foi na Wiz (WIZS3). Depois da perda do contrato com a caixa reavaliei a companhia e constatei que mesmo com o futuro incerto o preço estava muito atraente. Comprei mais 100 ações pelo preço médio de R$ 6,18. A Wiz é a empresa que mais paga dividendos dentro da minha carteira até o momento. Pretendo aumentar posição sempre que a cotação estiver atrativa.

Adicionei mais um ativo na carteira: a empresa de energia Neoenergia (NEOE3). É A maior presença na área de distribuição e mais recentemente aumentou sua presença no setor de transmissão, o filé mignon do setor de energia. Nos últimos anos, a empresa tem feito um trabalho extraordinário e continua melhorando operacionalmente a cada trimestre. A empresa aumentou os lucros e cotação caiu é momento bom para compra. Comecei com 100 ações pelo preço de R$ 15,22.

Os bancos continuam bem descontados, também aumentei posição em Banrisul (BRSR6). O setor deve voltar a pagar bons dividendos neste ano e o preço atual do Banrisul aguenta desaforo, foram 30 ações pelo preço R$ 11,97 cada.

Uma posição de maior risco, embora esteja entregando o plano estratégico, é a da empresa de telecomunicações Oi (OIBR3). Com a queda expressiva, aproveitei para realizar um novo aporte, 100 ações pelo preço de R$ 1,82 cada. Sigo aportando aos poucos com frequência, a cada mês que passa, a empresa avança para sair da recuperação judicial e trilhar a prosperidade, até lá é hora de acumular.

Outro investimento foi na Iochpe-Maxion (MYPK3), sem nenhum fato novo, apenas aproveitando a baixa na cotação, mais 100 ações pelo preço médio de R$ 11,69 cada.

E já no finzinho do mês, investi no fundo imobiliário de shoppings Malls Brasil Plural (MALL11), mais 5 cotas, a ideia nos próximos meses é aumentar um pouco a representatividade dos fundos imobiliários na carteira.

Seguem todas as operações realizadas:

No mais, continuo deixando a reserva de oportunidade lá na NuConta, rendendo 100% do CDI sem burocracia. Sigo aguardando boas oportunidades para investimento.

Lembrando que este artigo NÃO tem qualquer recomendação de compra e venda, e possui caráter exclusivamente educativo.

Para fechar!

Em março, o índice Ibovespa valorizou 6%, uma forte alta mensal. A minha carteira de renda variável valorizou bem mais que o índice, apenas 8,41%, fruto das boas escolhas e pela composição de empresas menores e com maior potencial de crescimento.

Como pretendido diminui novamente a posição em Petrorio (PRIO3), para diminuir a exposição em um único ativo, agora representa 17,12% ante os 17,78% no mês passado. Ainda assim é uma posição expressiva e não descarto realizar novos lucros nos próximos meses, apesar das perspectivas continuarem positivas. Faz parte do controle de exposição para diminuir os riscos. Ainda mais em uma empresa de commodities que não tem controle sobre o preço do produto vendido, podendo fazer uma empresa entrar em prejuízo mesmo sendo extremamente eficiente. Melhor prevenir do que remediar.

Na renda passiva, o primeiro trimestre terminou com alta de 51,76% quando comparado com o ano passado, fruto dos aportes consistentes e de boas escolhas. Por enquanto, a alta segue muito acima das expectativas de alta de 20% para este ano. Apesar disso, o mais importante é crescer a renda passiva todos os anos.

Para o mês de abril, os aportes continuarão prioritariamente destinados aos ativos da carteira que pagam dividendos e estão com boas perspectivas, como Sanepar, Cemig, Neoenergia, Itaúsa e Wiz. Embora não descarte investir nas demais ações que apresentem preços convidativos.

É isso, Poupadores e Poupadoras! Sigo investindo e acreditando no futuro do Brasil. Me acompanhe pelo Instagram e fique por dentro das minhas negociações. Ah, e não esqueça de compartilhar o artigo com seus amigos. Vamos todos juntos caminhar para a prosperidade.

Ficou com alguma dúvida? Comenta aqui embaixo.

Artigo anteriorConfira as atualizações do meu orçamento no mês de março
Próximo artigoConfira minhas estratégias financeiras durante a pandemia