Confira os impactos da mudança de estilo de vida no meu orçamento

89
Saúde e Bem-estar

Confira o meu orçamento com os dados atualizados de fevereiro. No geral, está tudo dentro das expectativas, sem qualquer mudança de rumos até o momento.

Os gastos com nossa saúde (alimentação + cuidados pessoais + saúde) seguem em alta quando comparado ao ano anterior, refletindo todos os cuidados que estamos tendo nessa área de nossa vida e dentro do que buscamos para este ano.

Na renda passiva tivemos o melhor mês do ano e o segundo melhor em todo o histórico, o que nos coloca a mais um passo da aposentadoria precoce.

Abaixo, você confere tudo isso em detalhes e aprende a monitorar tudo o que é importante dentro do seu orçamento. Saiba mais sobre a Jornada da Riqueza.

Receitas

Em fevereiro, houve uma redução de 49,93% em relação ao mesmo período do ano passado.

Essa grande redução aconteceu, principalmente, pela mudança no mês de férias. Ano passo tirei em março, recebendo salário de março antecipadamente em fevereiro, enquanto que neste ano entrarei de férias em abril e receberei o salário de abril antecipado em março. Somado a isso, ano passado vendi 10 dias das férias, aumentando mais ainda a diferença.

Um outro fator também foi a redução de receita com o consultório odontológico (-84,33%), explicado pela redução da procura por conta da pandemia. Muitos pacientes estão postergando os cuidados com a saúde bucal, o que poderá custar caro no futuro. Cuidar preventivamente é muito barato, regra geral na área da saúde. #ficaadica

E, por último, houve ganhos menores com investimentos (R$4.668,82 v.s. R$1.941,19), principalmente pelo desinvestimento na empresa Sanepar (SAPR4), resultando em grandes lucros no ano passado. Em fevereiro de 2021, apenas vendi uma pequena parte de Ferbasa (FESA4) após mais de 20% de alta no mês.

Olhando exclusivamente para a renda passiva, o quadro muda de figura, houve aumento de 296,90%, recebi R$ 1.689,51. Essa é a principal renda que importa para a aposentadoria. Foi o segundo melhor mês até o momento. No acumulado, a alta é de 66,47%. Segue abaixo gráfico atualizado com os proventos distribuídos desde 2017:

Despesas

Ao comparar os meses de janeiro e fevereiro, houve um aumento de 13,63%.

Com relação a janeiro, gastei muito mais com cuidados pessoais, transportes, vestuário e ‘outros’. Começando com cuidados pessoais (+2.210,88%), entraram as despesas com academias, já fizemos a assinatura por diversos meses obtendo os melhores descontos. Todo esse gasto está em linha com nossos objetivos de melhorar nossa qualidade de vida.

Com transportes, os gastos aumentaram 34,15%, explicado, principalmente, pelo pagamento dos impostos anuais (IPVA). E também por uma manutenção surpresa no ar condicionando, que parou de gelar, foi constatado que o problema era no filtro, a troca custou R$ 300. 

Na categoria vestuário, foi pelo pagamento de tudo que compramos em janeiro. Essa é uma categoria que costumamos acumular em um mês em vez de sair comprando todos os meses. E com ‘Outros’ pelo pagamento de IPTU e outras despesas variáveis do consultório odontológico.

Por outro lado, gastamos menos com educação, habitação e alimentação. Com educação tivemos menos despesas com livros, cursos de aperfeiçoamento e materiais odontológicos utilizado em curso de especialização. Com habitação, a única despesa extra foi com uma penteadeira camarim, enquanto que em janeiro tivemos IPTU, armário, aspirador de pó, entre outras coisas.

Em alimentação, fechamos o mês abaixo da expectativa média anual, compensando parte do que ficou acima em janeiro, no acumulado está próximo à expectativa. Para esse ano, são esperados gastos 15% maiores nessa categoria para nos alimentarmos melhor e termos mais qualidade de vida.

Fevereiro também foi um mês de altas despesas, levemente maior do que janeiro. Principalmente, pelo IPVA, troca do filtro do ar condicionado do carro, academia, personal trainer, penteadeira, roupas e exames médicos. E ainda as receitas foram um pouco menores do que as de janeiro. Com essa combinação, a poupança foi menor em 54,62%, mesmo assim representou 17,24% do total.

Orçamento

Finalizado o segundo mês do ano, por enquanto o gasto realizado segue bem próximo do previsto até o momento. Também não surgiu nenhum fato novo que possa mudar estruturalmente o orçamento a ponto de qualquer atualização.

Algumas categorias gastaram um pouco mais do que o previsto enquanto que outras gastaram um pouco menos, tudo na margem, exceto com lazer.

A receita, no acumulado, segue um pouquinho acima do previsto (+0,14%).

Esse acompanhamento é importante de modo a dar previsibilidade e poder de tomada de decisão em eventuais mudanças de rumo. Para março, a previsão é de receitas maiores e despesas menores, o que vai favorecer a poupança.

É isso, Poupadores! Conte conosco para quaisquer dúvidas, deixa um comentário aqui embaixo.

Artigo anteriorO que ninguém te conta sobre como economizar gasolina de verdade
Próximo artigoVocê teria coragem de investir em uma empresa em recuperação? Acompanhe minhas negociações