Menos tempo do que o esperado, mas valeu a pena

31
Púcon no Chile

Olá Poupadores, neste artigo vou compartilhar como foi nosso último dia de viagem no Chile. Trarei todos os aspectos financeiros para te ajudar a se preparar financeiramente e economizar numa viagem como esta.

Para acompanhar desde o início, clique aqui. Se perdeu o artigo anterior, clique aqui.

Em nosso oitavo dia pretendíamos conhecer os parques de Pucón e fazer leves caminhadas, porém, devido as medidas restritivas por causa da pandemia, todos os parques foram fechados.

Como praticamente tudo estava fechado no Chile, tivemos que antecipar nossa viagem, e felizmente conseguimos para o dia seguinte. Como tínhamos esse dia sobrando e sem muitas opções, decidimos por improvisar batendo perna e fazendo os poucos passeios disponíveis dentro da cidade.

Começamos o dia indo ao supermercado comprar comida para o café da manhã e lanches para o retorno a Santiago. Depois do café, fomos até o lago da cidade, localizado próximo ao centro, cerca de 15 minutos a pé de nossa hospedagem. Lugar maravilhoso como pode ser visto nas fotos, inclusive com espaço para cartão postal com o vulcão ao fundo da imagem. Aproveitamos a paisagem e ali mesmo descobrimos que haviam passeios de barco e que ainda estariam disponíveis nesse dia, contratamos para o horário das 15h, para curtirmos depois do almoço.

Ainda eram 10h da manhã e seguimos com nosso passeio pela cidade, dando uma passadinha na praia que, como podem ver, possui areia escura por causa das erupções do vulcão. Um outro ponto a conhecer, indicado pelo Tripadvisor, foi o cemitério da cidade, fica na parte alta da cidade, possibilitando ter uma vista panorâmica da cidade.

Depois de muito andar e admirar chegou a hora do almoço, como pedida escolhemos um prato típico, chorrillana, composto de bata frita, carne, frango, linguiça, cebola e ovos. Estava uma delícia, comemos bastante, e mesmo assim não conseguimos comer tudo, daria para três pessoas.

DICA: Os pratos no Chile são sempre muito bem servidos, se você for como nós, considere pegar um prato para uma pessoa e dividir, vai economizar uma boa grana.

Pra sobremesa, uma delícia de sorvete, embora não tão bom quanto um dos sorvetes mais premiados no mundo que comemos lá em Santiago.

Depois do almoço descansamos uns minutinhos até o horário do nosso passeio de barco pelo lago. Além da vista incrível, o guia também nos conta a história do lugar.

Após curtir essa experiência, fomos ao centro cultural da cidade para curtir o espaço e comprar lembrancinhas.

Terminamos esse dia jantando no Subway, e advinha só, também tinha opões de sanduíches com abacate, não pude deixar de provar. Comemos assistindo uma novela chilena semelhante a uma ‘Malhação’ brasileira.

Próximo ao termino do lanche sirenes começaram a tocar, a princípio ficamos assustados, mas como todos a nossa volta estavam sem qualquer pânico, deduzimos que era um aviso normal, logo em seguida descobrimos que se tratava de um incêndio de pequenas proporções. Terminada a refeição seguimos para nossa hospedagem, a menos de 5 minutos de distância, prontos para arrumarmos nossas coisas e nos preparamos para nosso retorno ao Brasil.

Segue o resumo dos gastos do fim da viagem:

Daí em diante a viagem se resumiu a pegar transporte de Pucón até o aeroporto mais próximo que fica em Temuco, de lá pra o aeroporto de Santiago e de Santiago para o Brasil.

Volta ao Brasil

Apesar de conseguirmos antecipar nosso voo sem custos, naturalmente tivemos alguns transtornos e gastos extras. A começar pelo Transfer, pagamos antecipadamente a ida e volta, como antecipamos a viagem, perdemos o dinheiro da volta. Até podíamos tentar o reembolso, mas não compensaria ir até o centro de Santiago tratar do assunto.

Felizmente lá no aeroporto conseguimos trocar os pesos chilenos por reais pela mesma cotação de câmbio, nesse ponto, por sorte, não tivemos prejuízo.

Ao chegar no aeroporto de Santiago tivemos que aguardar 8h até o nosso voo para o Brasil, não compensava se deslocar e pagar uma hospedagem, assim optamos por esperar o voo lá mesmo no aeroporto. Além da espera, foi necessário gastos extras com refeições mais caras no aeroporto.  Ainda por cima existiam poucas tomadas disponíveis, por vezes recarregamos o celular no banheiro, felizmente nossos celulares possuem carregamento rápido. Isso serviu de lição para comprarmos um carregador portátil, na próxima viagem estaremos mais preparados.

Conclusão

Abaixo segue o resumo dos nossos gastos financeiros por categoria para 8 dias de viagem no Chile, conhecendo Santiago e Pucón (700km de distância de Santiago).

O gasto ficou dentro do previsto, considerando a antecipação de 5 dias de viagem, provavelmente gastaríamos pouco menos dos R$ 12 mil se pudéssemos ficar os 13 dias previstos.

Mesmo 13 dias não seriam suficientes para aproveitar todas as belezas chilenas, a antecipação só nos fez ficar com um gostinho a mais para retornarmos. Até porque o Chile tem suas estações bem definidas, só o fato de viajar em outra estação já será uma experiência totalmente diferente. Um dia voltaremos para conhecer o deserto do Atacama, as famosas vinícolas, a represa, vinã del mar e tantos outros destinos incríveis.

O chile é um destino amado por brasileiros e agora entendo o porquê. É isso Poupador, espero que essa serie te ajude a estimar e planejar a sua viagem para esse e outros destinos.

Gostou do conteúdo? Não esquece de deixar o like e comentar o que achou do assunto.

Artigo anteriorBoa rentabilidade nos investimentos, apesar da guerra na Ucrânia
Próximo artigoMais um degrau rumo a independência financeira