Continuamos a escalada e fomos recompensados com waffles

48

Olá Poupadores e Poupadoras, neste artigo vou compartilhar a continuação do nosso sétimo dia no Chile. Trarei todos os aspectos financeiros para te ajudar a se preparar financeiramente e economizar numa viagem internacional.

Para acompanhar desde o início, clique aqui. Se perdeu o artigo anterior, clique aqui.

No artigo anterior paramos na parte congelada, entre o meio e o topo da montanha, para o guia nos ensinar como prosseguir com segurança. Após as instruções, seguimos adiante, com o guia trilhando o caminho em zingue e zague com o propósito de construir um caminho mais fácil e seguro para nós.

A escalada podia ficar mais difícil? Sim, enquanto vamos escalando temos que ficar atentos para cima, pois, adivinhem, pedras podem rolar e cair em quem está embaixo. Presenciamos algumas, felizmente todas eram pequenas.

Nessa etapa o ritmo da escalada começou a seguir cada vez mais lento, o Felipe, única pessoa que estava fazendo o passeio conosco, não estava preparado fisicamente. Além do peso, ele nos contou que um de seus joelhos não tinha cartilagem e que tudo aquilo se tratava de um imenso desafio para ele.

Mais alguns minutos, ao chegar a uma área segura, o guia nos informou que não poderíamos continuar, pois o trecho que normalmente seria escalado em 15 minutos demorou mais de meia hora. Felipe afirmou que estava próximo do limite e que não dava mais para continuar, pois ainda teria a descida, que consumiria bastante energia.

Dani e eu estávamos bem, poderíamos ter continuado e chegado ao topo, mas a regra era clara: se um desistir, ninguém pode continuar. Ficamos em nossa parada por mais 15 minutos, admirando a beleza do lugar, a cerca de 400 metros do cume.

Enquanto descansávamos, nuvens passaram por nós, uma experiência única que nunca pensei que vivenciaria. É incrível como coisas aparentemente simples fazem toda a diferença quando estamos imersos em uma aventura.

Descansados, iniciamos a descida por volta das 11h45min. Para mim a descida foi mais cansativa que a subida. Inclusive, no meio da descida meu joelho esquerdo começou a apresentar dores, a princípio achei que seria apenas exaustão, mas poucos meses depois fui diagnosticado com contropatia patelar, perda de cartilagem, algo semelhante ao que o Felipe tinha, porém em um estágio inicial. De lá para cá, fiz fisioterapia e fortalecimento muscular e, no momento, estou bem melhor.

Durante o caminho, levei pelo menos duas quedas, é uma descida íngreme e precisa de muita atenção, estávamos com luvas e as quedas não geraram qualquer arranhão ou ferimento.

Toda a descida levou cerca de 2h e chegamos ao ponto de partida às 13h50min. De lá, mais cerca de meia hora até chegarmos à agência de turismo, final dessa aventura. Inclusive, no meio do caminho o guia deu carona a um menino que estava indo em direção à cidade, mais um sinal de acolhimento do povo chileno.

Da agência, voltamos ao hostel para tomar banho e descansar. Ao final da tarde, fomos conhecer um pouco mais da cidade, passamos pela praia, onde a areia é bem escura, acredito que por conta do vulcão. Já era finzinho de tarde, tinha muita gente aproveitando apenas a paisagem, como nós, acredito que por conta do frio e da água gelada.

Embora parecesse dia, lá já eram 18h, felizmente nessa época do ano escure só depois das 20h, favorecendo aproveitar mais o dia.

De lá fomos para uma praça central da cidade, a Plaza de armas, toda cidade tem uma. A praça estava magnifica, muito bem cuidada, como todas que conhecemos no Chile. Essa praça é repleta de estátuas em madeira em homenagem às principais pessoas da cultura local, uma verdadeira obra de arte.

Já eram quase 19h e fomos famintos para a avenida principal da cidade, que é cheia de restaurantes. Vimos que tinha um lugar onde vendia Waffles, e como nunca comemos, decidimos experimentar. Estava bom, mas não foi nada espetacular. Talvez pelas expectativas romantizadas por causa dos filmes estadunidenses XD.

Seguimos em direção ao hostel para descansar e nos prepararmos para o dia seguinte, que seria nosso último dia da viagem, fim antecipado por conta da pandemia do coronavírus que fez com que os governantes fechassem os espaços turísticos.

Segue o resumo dos gastos desse dia:

Gostou do conteúdo? Não esquece de deixar o like.

E antes de ir, gostaria de compartilha alguma experiência de viagem? Deixa aqui embaixo um comentário.

Artigo anteriorVocê teria coragem de investir em uma empresa em recuperação? Acompanhe minhas negociações
Próximo artigoComprar ou alugar: qual é o melhor quando se trata de carros?