Nunca gastamos tanto em um único mês!

197

Olá, Poupadores! Venho trazer mais uma atualização da minha jornada da riqueza.

Finanças

Em julho, houve crescimento de 16,31% na renda com relação ao mesmo período do ano passado. Explicado, principalmente, pelo crescimento de nossos salários (+21,33%), ganho dos investimentos (+194,72%) mitigado pela queda em outras receitas (-34,74%). No acumulado do ano a alta é de 20,27%.

Na ótica das despesas, comparamos com o mês anterior, e, nesse caso, gastamos mais do que o triplo, foi o mês que mais gastamos na vida! Tem uma boa explicação tá? Todo esse gasto foi pelo pagamento da entrada de quase 20% do nosso apartamento somado as taxas da prefeitura e cartório. Se não fosse isso, os gastos estariam dentro da normalidade.

Em agosto começaremos a pagar as parcelas do financiamento, com isso estaremos gastando um pouco mais do que o normal com habitação. Os gastos extras acabaram? Ainda não, pretendemos fazer uma pequena reforma no apartamento então ainda gastaremos algum dinheiro lá para setembro/outubro quando receberemos as chaves.

Com esse gasto excepcional, gastamos bem mais do que ganhamos, diminuindo a poupança dos últimos 12 meses de 58,07% para 43,22%.

Renda Passiva

Tercero mês com renda passiva acima de 3k só nesse ano. Conseguimos alcançar R$ 3.108,23. Com esse resultado, no acumulado de 12 meses, nossa média mensal subiu para R$ 2.456,81 (+R$ 113,09).

Investimentos

Em julho a bolsa subiu 3,27%, e nossa carteira, olhando exclusivamente para ações, seguiu ganhando da bolsa e rentabilizou 9,71%. Consolidando renda fixa + renda variável, tivemos uma rentabilidade de 7,01%.

A proporção entre renda variável e fixa ficou, respectivamente, 77,02% v.s. 22,98%, uma variação de 6,04% a favor da renda variável. A variação é explicada principalmente pelo uso do FGTS como entrada do apartamento, diminuindo significativamente o valor alocado em renda fixa.

Mais um ativo entrou na carteira, AES (AESB3), e agora a carteira conta com 40 ativos alocados da seguinte forma:

Realizei lucro (R$ 2354,34) em Prio (PRIO3) vendendo e recomprando. A Prio subiu bastante (+23,03%) e representa quase 20% da carteira, com isso começo a reavaliar o potencial de alta da empresa e o risco dela na minha carteira. Reduzir posição nela é bem difícil visto que a empresa todo trimestre entrega um resultado melhor do que minhas expectativas.

A AES (AESB3) entrou apenas com propósito de trade, logo deve sair da carteira.

Os aportes continuaram, prioritariamente, sendo destinados para ativos pagadores de dividendos, em especial: CIEL3, CMIN3, CSUD3, SHUL4 e SAPR4.

Maior alta: Paranapanema (PMAM3) com 24,73%.

Maior queda: CVC (CVCB3) com -15,10%.

Melhores ações da carteira para comprar: ABCB4, CMIN3, FESA4, SAPR4, CIEL3 e ITSA4.

Riqueza

Com o resultado da poupança somado ao resultado dos investimentos, nosso patrimônio líquido subiu 6,05%. Resultado excelente, bem acima da média de 2,6%.

Com esse resultado batemos nossa meta muito antes do previsto! Entretanto é bom manter os pés no chão e lembrar que mais de 60% de nosso patrimônio está exposto em renda variável e sabemos que a volatilidade é grande.

É isso Poupador, seguimos na jornada da riqueza mês a mês, trabalhando, poupando e investindo, sem atalhos, rumo ao milhão. Não deixe de nos acompanhar pelo Instagram e youtube para ficar por dentro do mundo da educação financeira e dos investimentos. Até a próxima!

Artigo anteriorCarteira de Dividendos – Agosto de 2023
Próximo artigoPRIO (PRIO3): uma das maiores valorizações da bolsa