Minha renda passiva acumula alta superior a 30% nesses primeiros seis meses do ano

56

Confira o meu orçamento com os dados atualizados de junho.

O crescimento da renda passiva continua, o acumulado desse ano está maior 34,97% com relação ao mesmo período do ano passado. Uma média mensal de R$ 870,03.

A receita e despesa vieram ambos abaixo do previsto, porém a receita prevista foi muito abaixo e prejudicou a poupança desde mês. Chegamos ao meio do ano e realizamos revisão no orçamento, impactando quatro categorias, duas para mais e duas para menos.

Abaixo, você confere tudo isso em detalhes e aprende a monitorar tudo o que é importante dentro do seu orçamento. Saiba mais sobre a Jornada da Riqueza.

Receitas

Em junho, houve redução de 21,74% em relação ao mesmo período do ano passado.

Essa redução aconteceu por ganhos menores nos investimentos (-79,32%) e no consultório (-20,15%).  Em contrapartida, houve aumento de 1,31% no salário.

Olhando exclusivamente para a renda passiva, recebemos R$ 679,58, terceiro melhor resultado deste ano. No acumulado anual, a média mensal é de R$ 870,03, aumento de 34,97% em relação ao mesmo período do ano passado. Segue abaixo gráfico atualizado com os proventos distribuídos desde 2017:

Despesas

Ao comparar os meses de maio e junho, houve aumento de 3,42%.

Vamos aos destaques. Com saúde gastamos 68,34% a mais do que maio, por conta renovação de colírios, compra trimestral recorrente e por exames e consultas. Com lazer (+205,31%) por ter saído mais vezes para comer fora. Vestuário (+2035,19%) por boa parte dos gastos da categoria ter sido concentrado em maio, pagando agora em junho e julho. E com cuidados pessoais (+46,75%) pela renovação do plano trimestral da academia.

Em contra partida, teve redução com Habitação (-33,15%), este mês praticamente tivemos apenas os gastos recorrentes enquanto no mês passado comprei uma nova bateria para meu notebook e um vídeo game. Com transportes (-12,13%) pelo menor uso. E na categoria ‘Outros’, este mês praticamente teve os gastos recorrentes, enquanto mês passado entrou despesa de um presente para a sogra.

Este mês poupamos 28,13% de toda a receita, uma redução 46,03%, principalmente, pela redução das receitas. Próximo mês recebo salário dobrado, então vai dar uma boa alavancada na poupança.

Orçamento

Finalizado o sexto mês do ano, no acumulado, temos receitas 2,74% acima do previsto e despesas 5,67% abaixo da previsão. O que é positivo, porém revisamos quatro categorias, duas para mais e outras duas para menos.

Reduzimos os gastos previstos com educação em R$ 1100,00, basicamente por menores gastos na compra de matérias odontológicos para a especialização da minha esposa. E reduzimos R$ 200 com transportes, basicamente pelo menor uso do carro.

Por outro lado, aumentamos R$ 975,00 em alimentação, baseado no gasto semestral que tivemos após nova dieta e também pela inflação dos alimentos muito acima do previsto. E aumentamos R$ 400,00 em saúde, pelo tratamento do meu joelho durar um período maior do que o previsto.

Por enquanto as demais categorias seguem sem ajustes. Assim, temos o cenário conforme imagem abaixo.

É isso, seguimos de olho para ter o máximo de previsibilidade. Previsibilidade financeira que por sua vez gera tranquilidade e economia, e que se bem aplicado gera riqueza. E por falar em riqueza, já enriquecemos quase 20%, só este ano, e estamos próximo de bater a meta anual.

É isso, Poupadores! Conte conosco para quaisquer dúvidas, deixa um comentário aqui embaixo.

Artigo anteriorA um passo de bater a meta de enriquecimento deste ano
Próximo artigoEtanol x Gasolina: saiba qual é o mais vantajoso para seu bolso